O principal diferencial da ESCOLA DE VÔLEI BERNARDINHO é oferecer um serviço personalizado, adequado às necessidades das crianças, proporcionando a condição de sucesso. Associamos a metodologia valores e ideais essenciais para a formação e educação de um cidadão - disciplina, cooperação, responsabilidade e superação.
Nossa metodologia preconiza o aprendizado de uma maneira lúdica e dinâmica. As categorias de minivôlei 1 e 2 seguem a mesma metodologia de ensino, com cada aula dividida em três momentos: (1) aquecimento e aperfeiçoamento da técnica individual, (2) desenvolvimento da tática de jogo, e (3) o jogo propriamente dito.

 

Estruturação das turmas

Alunos de sete a dez anos jogam minivôlei I em quadras de 3,5 m x 7,0 m e rede com aproximadamente 1,85 m de altura (variando de acordo com a necessidade de cada turma), em equipes de dois alunos, com a bola tamanho 4 (menor). Alunos de onze a treze anos praticam o minivôlei II em quadras maiores (5,00 m x 11,0 m), equipes de três jogadores, redes com aproximadamente 1,95 m (variando de acordo com a necessidade de cada turma) e bola tamanho 5 (tamanho oficial) porém mais leves.

Há um número máximo de alunos por miniquadra, que varia de acordo com a categoria (oito alunos no minivôlei I e dez alunos no minivôlei II). Cada aluno tem à sua disposição, pelo menos uma bola. Para cada quatro miniquadras há um professor e dois estagiários de educação física para que o aluno tenha uma atenção permanente e direcionada.

As aulas são planejadas mensalmente de acordo com os objetivos descritos no planejamento bimestral, que são amparados pelo protocolo de avaliação aluno | turma.

Para jovens entre 14 e 16 anos têm a categoria do 4 x 4, que é uma transição do minivôlei para o voleibol praticado com bola oficial, altura de rede e medida de quadra próximas da categoria profissional.

 

Estruturação das aulas

1ª parte: Aquecimento e Aperfeiçoamento da Técnica Individual | 15 minutos

No aquecimento utilizam-se atividades lúdicas para o desenvolvimento de habilidades motoras gerais e específicas, e das capacidades físicas de forma mais individualizada.Para possibilitar uma maior vivência dos gestos técnicos e dos fundamentos do voleibol, o aluno pratica cada fundamento um maior número de vezes durante os trabalhos realizados. A técnica individual consiste no desenvolvimento dos fundamentos básicos do voleibol como toque, manchete, etc. Nesta fase da aula, os alunos farão exercícios dinâmicos buscando a evolução técnica com diversão.

2ª parte: Desenvolvimento da Tática de Jogo (Construção do jogo) 30 minutos

No desenvolvimento da tática do jogo, conscientizamos os alunos para as diversas possibilidades táticas que o jogo apresenta. É o momento em que os fundamentos são combinados e aplicados em situação de jogo, desenvolvendo-os juntamente com as movimentações sem bola. A correção do gesto técnico é focada nos pontos críticos do fundamento de acordo com o objetivo de cada aula. O dinamismo dos exercícios possibilita o desenvolvimento do raciocínio rápido, concentração e cooperação dos alunos.

3a parte: Jogo | 15 minutos

O jogo propriamente dito é o momento mais esperado pelos alunos. Esta é a fase mais divertida onde é colocado em prática todo o conteúdo desenvolvido durante a aula. Na última aula de cada mês realiza-se apenas o jogo em si, pois é um momento para avaliação dos alunos e para que os pais possam ver a evolução de seus filhos. É importante salientar que essa divisão de tempo é um padrão, porém o Professor tem flexibilidade para alterá-la de acordo com a necessidade da aula.

Dentro de todos os momentos de aula o aluno realiza duas ou mais ações (princípio da múltipla ação), combinando fundamento com deslocamento ou fundamento com outro fundamento, por exemplo, saque e defesa. A complexidade e o ritmo dos exercícios acompanham o nível e o desenvolvimento da turma. São realizados três a quatro exercícios, no máximo, para que haja assimilação dos conteúdos. Os exercícios são construídos a partir de uma situação de jogo, e, progressivamente, são incorporados outros elementos ou ações.